Pesquisar no blog

COMO CULTIVAR: Praga de roseiras

Como todas as plantas, a rosa necessita de condições favoráveis para a sua sobrevivência. Quem cultiva uma roseira precisa se atentar para a manutenção, que requer podas regulares, irrigação e abudo de qualidade. Somete assim as rosas poderão florescer fortes e bonitas.
As rosas são flores lindas que embelezam jardins e residências, deixando o ambiente mais colorido, delicado e agradável. O cultivo é comum no Brasil, mas para que os botões se desenvolvam bonitos e saudáveis, a planta requer alguns cuidados.


Quando as roseiras não recebem o tratamento apropriado, elas ficam vulneráveis a doenças e pragas. Conheça os problemas mais comuns das roseiras e as formas de combatê-las.

Mancha Negra
Os primeiros sinais deste problema se manifestam nas folhas, que adquirem manchas escuras e depois caem da roseira. Apesar de atingir a parte inferior da rosa, o fungo pode se espalhar pelo corpo todo e comprometer o desenvolvimento dos botões. O problema se intensifica nos dias quentes e úmidos. No caso de uma roseira contaminada por mancha negra, é necessário remover todas as folhas contaminadas e em seguida pulverizar óleo de sódio nas plantas.


Como tratar a mancha negra

Se os seus canteiros estiverem afetados, é necessário livrar-se de todas as folhas que já possam estar contaminadas, para que estas não contagiem as restantes. Posteriormente, deve utilizar um spray de óleo de sódio e pulverizar as roseiras com o intuito de as proteger e salvaguardar de outros eventuais ataques.



Cancro da haste

Doença causada pelo fungo Coniothyrium fuckellii , doença que ataca apenas as hastes, iniciando com manchas púrpuras, evoluindo para necrose e rachaduras na haste, evoluindo até a morte da planta.


Como tratar Cancro da haste

Não existem fungicidas registrados para o controle desse fungo, por isso é recomendado a eliminação da planta, com corte e queima da planta.



Ferrugem

Os sintomas são manchas amareladas na parte inferior, como caule e folhas. Para evitar a proliferação do problema e combatê-lo, é preciso remover do jardim as folhas que despencam no solo por causa da ferrugem. O combate da doença acontece por meio da manutenção contínua e do uso de um spray de enxofre.



Como tratar a Ferrugem

Quando as folhas com ferrugem caem no chão, elas devem ser imediatamente recolhidas, caso contrário a relva do jardim pode ficar queimada e a terra de cultivo pode perder os seus nutrientes principais. Para que isso não aconteça, faça uma manutenção regular do seu jardim e retire todas as folhas que apresentem qualquer sinal de ferrugem. Durante a estação de crescimento, deve aplicar um spray de enxofre, um fungicida ou um pesticida orgânico para que a planta possa crescer de uma forma saudável e consistente, sem qualquer vestígio de ferrugem.


Oídio

Os primeiros indícios são manchas esbranquiçadas que deformam as folhas. Isto ocorre por causa da ação de um fungo, que se torna mais intensa com o ar úmido. Para evitar o problema, é necessário regar a roseira diariamente, sempre de cima para baixo, para que todos os fungos sejam removidos. Se a doença agravar, recomenda-se a aplicação de fungicida sobre as rosas afetadas.




Míldio 
Doença importante no cultivo de rosas, causada pelo fungo peronospora sparsa, que desenvolve com quedas bruscas de temperatura e alta umidade, causa manchas irregulares que com o desenvolvimento da doença ocasiona a perda da folha.

Como tratar os afídeos

Os afídeos são uma das pragas que mais preocupam os agricultores e silvicultores, uma vez que afetam diretamente o rendimento das plantas, retirando-lhes a sua seiva. A saúde dos caules, folhas, flores, frutos e das raízes fica seriamente comprometida e daí podem resultar inúmeros prejuízos. Para infestações mais pesadas, é necessário aplicar um jato forte de água ou pulverizar a planta com água e sabão, com o intuito de desalojar a respetiva praga. O controle deve ser preventivo, com o aumento da circulação de ar, manter a umidade a baixo de 85% e utilizar fungicidas preventivos.


Ácaros

Os ácaros causam sérios danos à roseira. Os primeiros sinais são as teias, quase imperceptíveis. Aos poucos as folhas adquirem uma cor amarelada e podem representar uma grande ameça para a saúde da planta e para pessoas que sofrem com alergias respiratórias. Para que os ácaros não se proliferem é necessário pulverizar as plantas.



Como tratar dos ácaros

Os ácaros representam uma grande ameaça para a saúde humana, uma vez que são os principais responsáveis por quadros de alergia respiratória como a rinite alérgica e a asma. Para que isto não se suceda, é fundamental pulverizar as folhas das plantas com água logo no início da manhã. Para as grandes infestações de ácaros, é necessário pulverizar as plantas com um inseticida de água e sabão ou óleo de verão.



Seca dos Ramos

Doença causada pelo fungo Phomopsis rosae, que se aproveita dos cortes de podas para entrar na planta e causa seca dos ramos podados.


Como tratar a seca dos ramos da roseira

Fazer a prevenção mergulhando as ferramentas de podas em soluções com hipoclorito de sódio (água sanitária), impedindo a disseminação do fungo, arrancar e queimar as plantas infectadas.


Insetos

É importante usar produtos adequados no combate de besouros, lagartas e vermes que podem comprometer a roseira. 



Como tratar os insetos da roseira

Uma forma de combater essas pragas é usando inseticida sob as pétalas.


Larva Minadora

Larva do mosquito Liriomyza, que se desenvolve se alimentando da folha da roseira, abrindo túneis, causando perda da área foliar.





Como tratar a Larva Minadora

Pulverização de inseticidas registrados ou inoculação de inimigos naturais, como é o caso do Diglyphus isaea.


Tripes

Inseto minúsculo de várias cores e formatos diferentes, que raspam as folhas, hastes e flores causando deformação e inoculando vários tipos de vírus, que causam mutações e ou prejudicam o desenvolvimento da planta.


Como tratar a Tripes em roseiras

Existem vários tipos de insetos e ácaros disponíveis no mercado para o controle biológico dessa praga, podem ser utilizados também inseticidas registrados.


Pulgões

Afídeos sugadores de várias cores que sugam a seiva das plantas, causando deformações e eliminando substancias adocicadas que facilitam o desenvolvimento de fungos.


Como tratar Pulgões em roseiras

Pulverização com inseticidas ou utilização de inimigos naturais.


Lagarta

Existem vários tipos de lagartas que atam as roseiras, comem o limbo foliar, diminuindo a fotossíntese.


Como tratar lagartas em roseiras

Em pequenos jardins podem ser recolhidas manualmente e mortas, para grandes áreas podem ser controladas com fungos de controle (Dipel – produto comercial) ou com inseticidas registrados ou agroecológicos.


Cigarrinhas

Insetos voadores de várias formas, inclusive em formato de espinhos, algumas espécies formam espumas em suas ovulações que sugam as hastes da roseira inoculando viroses.

Como tratar Cigarrinhas em roseiras

Utilização de inseticidas registrados ou agroecológicos.


Veja também os artigos complementares sobre roseiras:

- Como plantar rosas trepadeiras



fonte: http://www.diadecampo.com.br/ - http://www.mundodastribos.com/ - http://www.portalagropecuario.com.br/ - https://www.compojardineria.es - http://www.minhasplantas.com.br/ - http://omeujardim.com/ - http://horta-jardim.blogspot.com.br/

COMO CULTIVAR: Como podar rosas

O ato de podar é uma das tarefas de jardinagem mais importantes na manutenção de um jardim. 

No caso das roseiras, a poda vai determinar o aspeto final e a beleza das suas flores. As podas adequadas em roseiras estimulam a floração e a brotação, dando mais viço às novas rosas.

Vale destacar que o ato de podar ajuda a melhorar a estética de uma planta, permite que os raios solares cheguem ao núcleo da mesma, o que facilita a sua nutrição e novas áreas de crescimento.


Para podar roseiras corretamente, é necessário reunir as ferramentas:

-Tesouras de poda
-Tesoura de poda com cabo telescópico
- Serra curvada
- Luvas grossas

 

Atenção!:


Para preservar a saúde das suas roseiras, é fundamental que todas as ferramentas estejam limpas e afiadas antes de entrarem em ação.

Poda de manutenção ou limpeza da roseira:

- Sempre que as rosas murcharem, deve-se cortar os galhos para estimular uma nova floração". Esta poda, que pode ser feita em qualquer época e se repetir assim que surge uma rosa seca, chama-se de manutenção ou limpeza.

- Nessa ocasião, também devem ser retiradas as folhas murchas.



- Na hora de podar a roseira, fique atento para que a tesoura esteja sempre amolada, evitando que ela "mastigue" os galhos, pois isso é prejudicial ao crescimento da planta. 

- Corte o galho na diagonal sempre três folhas ou três nós abaixo da rosa murcha, pois auxiliará na absorção de nutrientes e facilitará a cicatrização da roseira. Aparar os ramos num ângulo de 45 graus. Não esqueça de podar em ramos alternados para encher mais a roseira.


- Os nós nada mais são do que as marcas das folhas que caíra.

- Corte o galho da roseira sempre na diagonal, auxiliando na absorção de nutrientes e facilitando a cicatrização da planta.


- Folhas doentes e secas precisam ser retiradas durante a poda de limpeza ou manutenção.

- A rosa que está quase murchando não precisa ser cortada. Só retire-a, quando estiver realmente seca.

- A rosa seca é retirada na poda de limpeza ou manutenção.

Poda anual ou poda de formação das roseiras

- Os galhos secos, velhos e lenhosos são cortados na poda anual ou de formação, que é mais radical e dá forma à roseira, estimulando a nova brotação. 

- Como consequência, a floração seguinte será maior e de melhor qualidade. 


- Essa poda é feita no inverno, mas nas regiões, onde acontecem geadas, aguarde o frio intenso acabar. A geada pode danificar os novos brotos.

- Na poda de formação, também não se esqueça de cortar o galho na diagonal, que auxilia na absorção de nutrientes e facilita a cicatrização da roseira.

- Os galhos que estão fora do desenho que você quer dar a sua roseira devem ser removidos na poda de formação.


- remover os galhos secos, velhos e lenhosos na poda anual. O resultado é uma floração mais farta e de melhor qualidade. 


- Os galhos podem ser cortados inteiros, se estiverem completamente secos, ou na proporção que se deseja dar após o crescimento na poda de formação, caso apenas uma parte esteja prejudicada.

- Depois de podada, a roseira fica limpa e saudável, o que facilita seu crescimento. Agora, basta esperar a nova floração para ver o resultado. 


Atenção!

Todos os galhos podados vão bifurcar, dando origem a outros galhos, e, consequentemente, mais rosas.


Dicas para podar rosas

Existem várias dicas que poderão ser colocadas em prática para podar corretamente as roseiras de um jardim. São elas:


- Remover os ramos que estejam deteriorados, mortos e/ou em decomposição.
- Eliminar os caules que pareçam estar murchos, secos ou negros.
- Arejar a roseira de modo a que ela tenha uma boa iluminação solar e circulação de ar.
- Cortar os caules dos rebentos exteriores em cerca de 3 a 6 mm, dependendo se estão em bom ou mau estado.
- Fazer cortes limpos e concisos para não danificar as plantas.
- Aparar os ramos num ângulo de 45 graus.
- Verificar se o centro dos ramos cortados é branco e fresco. Se assim for, é sinal de que as rosas terão um aspeto magnífico.

Veja também os artigos complementares sobre roseiras:


- Como plantar rosas trepadeiras



fonte: http://mulher.uol.com.br/- http://omeujardim.com/ - casa.umcomo.com.br - blog.plantei.com.br

COMO CULTIVAR: Rosas

Existem muitas formas de decorar o jardim, mas nada como plantar roseiras sendo que estas são umas das flores mais bonitas que existem. Além disso, desfrutaremos do seu aroma e cores, são ideais para embelezar as áreas exteriores da casa. 





Descrição:



A roseira é um arbusto de folhas decíduas, de regiões temperadas a frias e cultivada em todo a Terra. As alturas variam conforme o tipo da roseira, podendo ser até 0,60 m as mini-roseiras, até 1,20 m as híbridas e pode chegar a mais de 3,0 as do tipo trepadeira. As folhas são compostas de 5 folíolos, de bordas serrilhadas e inseridas de fome alterna nos ramos. As flores são de formato diferenciado conforme a variedade e as cores infinitas. Na rosa silvestre ou selvagem as flores têm 5 pétalas, mas nas híbridas são em múltiplos de 5. As mini-roseiras produzem flores pequenas, mas as chamadas híbridas de chá têm flores grandes. As roseiras podem produzir uma rosa por ramo, grupos de 3 a 5 e em maior número, chamados de cachos. A maioria das rosas é perfumada.
Época de Floração
O florescimento acontece do final do inverno até o outono.  O fruto formado é arredondado e fica alaranjado quando maduro, atraindo a avifauna.
Época de Plantio
Espere a época do outono. É o mais aconselhável, sendo que esta é a melhor temporada para plantar roseiras, já que neste tempo a temperatura quente da terra favorece o desenvolvimento das raízes.

Requerimento de Luz
A roseira deve ser cultivada ao sol para que produza muitas flores.
Como plantar rosas:
Fazer mistura de húmus de minhoca com adubo animal de curral bem curtido, cerca de 2 kg/cova.Nesta mistura adicionar 200 gramas de farinha de ossos, misturar bem e aguardar o plantio.Solo Ideal para plantar rosas. Solos argilosos e férteis parecem ser a sua preferência, embora necessite de solo com boa drenagem. O substrato ideal é aquele com pH entre 6,5 e 7,0 e rico em matéria orgânica.Uma noite antes de realizar a plantação deixe as rosas descansando em um recipiente com água. Isto hidratará bem as plantas para que possam ter mais possibilidades de crescer saudáveis e fortes.

As roseiras não devem ser plantadas muito perto de muros. Estas plantas precisam de um espaço médio de 30 cm de distância para poder crescer e desenvolver-se livremente.

Adubação
Adubações de reposição podem ser feitas no final da primavera para que a planta mantenha seu vigor e após a poda de inverno, para propiciar nutrientes para a nova brotação.

Veja também os artigos complementares sobre roseiras:

- Como plantar rosas em vasos
- Como podar roseiras
- Como tratar pragas em roseiras
- Como plantar mini rosas
- Como plantar rosas trepadeiras


fonte: http://casa.umcomo.com.br/ - fazfacil.com.br


CURIOSIDADES: Planta que leva mais tempo para florir

A planta que leva mais tempo para florir é a Corypha umbraculifera, uma espécie de palmeira hermafrodita do Sri Lanka. A florada da Corypha florada ocorre apenas a cada 80 anos.


COMO CULTIVAR: Petúnias

Uma explosão de cores! As petúnias pendentes são a forma mais fácil de preencher qualquer espaço com flores que irão durar por muitos meses. Elas são um tipo totalmente diferente de planta, resultado de cruzamentos de várias espécies selvagens, e que criaram petúnias que crescem em comprimento ao invés de altura, tornando-as ideais para cestas, jardineiras e forração do jardim! No fim de uma estação de crescimento elas atingem entre 1,2m e 1,8m de comprimento e estão disponíveis em uma infinidade de cores e tamanhos. Indispensáveis para qualquer jardim ensolarado!




Características


As petúnias sempre foram plantas muito utilizadas pelo tamanho das flores e grande variedade de cores disponíveis, mas ganharam um lugar especial nos jardins a partir do fim da década de 90 com a introdução das petúnias pendentes. Elas são uma espécie diferente, resultado de cruzamento de várias espécies selvagens, e que resultaram em petúnias que crescem em comprimento ao invés de altura, tornando-as ideais para cestas, jardineiras e forração do jardim!
São elas as flores que você geralmente vê nas fotos penduradas em cestas, ou nas varandas das casas e que podem ser vistas de longe devido ao efeito de cor que causam.



Possuem excelente desempenho e em diversos testes ao redor do mundo é a variedade com melhores notas! Entre as petúnias pendentes é a menos sensível ao requerimento de dias longos para florescer, podendo ser usada inclusive no inverno. 
Por serem plantas tão bem ramificadas, uma semente enche facilmente uma jardineira de 45 cm ou uma cesta com 40 cm de diâmetro e depois que chega na borda começa a crescer para baixo (dando o efeito pendente). No chão cada semente ocupa facilmente 1,5 m².



As plantas irão atingir o período de floração plena no fim da primavera e ele dura até o começo do outono. Durante esta época elas crescem até 10cm por semana e você terá mais de 100 flores cobrindo todos os galhos. No auge da floração a folhagem fica inteira escondida!
Originária do Brasil e Argentina, a petúnia se adapta extremamente bem a todos os climas do nosso país. Devido ao cruzamento com as espécies selvagens, a planta é perene (dura vários anos) e quando fica grande demais basta podá-la e em algumas semanas ela já estará bonita novamente.



Época de Floração da Petúnia
Primavera e outono
Época de Plantio da Petúnia
Embora as petúnias possam ser plantadas em qualquer época do ano durante a primavera as suas sementes tem mais chance de se propagarem
Requerimento de Luz
Meia Sombra, Sol
Dimensões
de 15 a 30 cm de altura por 1 a 1,5 m de largura



Instruções de Plantio da Petúnia
A petúnia pode ser plantada em qualquer época do ano, exceto em regiões muito frias (com geada) onde o inverno deve ser evitado. Temperatura ideal do solo de 22°C a 25°C. As sementes não devem ser enterradas pois a maioria das petúnias irá se beneficiar da presença de luz, portanto apenas posicione as sementes acima do solo de forma firme. A capinha amarela que envolve as sementes serve apenas para facilitar o manuseio e irá se dissolver na presença de água. 
Manter o solo saturado de água até os primeiros sinais de germinação, que pode levar de 2 a 7 dias. As primeiras folhas são muito pequenas, portanto cuidado ao efetuar a rega. Se possível utilize um borrifador. 




COMO CULTIVAR: Lírio

Os lírios são plantas extremamente floríferas e típicas do verão. Plante agora e tenha flores voltando em seu jardim por muitos anos!
Dentre as flores mais apreciadas, destaca-se o Lírio, por sua natural elegância, devido à sua forma alongada, que agrada a pessoas de todas as idades e ambos os sexos. A flor possui seis pétalas agrupadas no formato hexagonal, símbolo que representa também as inteligências superiores.




Originário de regiões tropicais de elevada altitude, como América do Norte, Ásia e Europa, os Lírios fazem parte da família das Liliáceas. Ao longo dos tempos, as espécies dessas flores passaram por diversos cruzamentos para formarem plantas de cores variadas, denominadas de híbridos.

Curiosidades sobre o Lírio

Os Lírios são cultuados desde o Egito Antigo, pois a flor era símbolo da deusa Ísis, uma das mais importantes da cultura egípcia, e integrava diversos rituais em sua homenagem, tanto que em muitas buscas arqueológicas foram encontrados vestígios da planta nas antigas Pirâmides dos Faraós.

Na Grécia Antiga, o apreço pelos Lírios não foi menor, tanto que para explicar a origem da planta, o povo grego criou até mesmo uma lenda, em que o Lírio teria nascido do leite da deusa da lua, Hera, que deixou derramar no momento em que amamentava o seu filho Heracles. Mas a admiração pelo Lírio também se estende aos católicos, que costumam associá-lo à pureza da Virgem Maria, mãe de Jesus Cristo. Isso se explica o porquê do Lírio estar frequentemente presente no buquê das noivas.



Além de ser uma das flores cultivadas pelo homem desde a Antiguidade, ao longo dos tempos, a planta integra uma inúmera lista de lendas, como por exemplo, oferecer proteção às más energias e bruxarias. Antigamente, a flor era considerada até mesmo uma importante aliada para promover as reconciliações dos casais, especialmente os seus bulbos, que eram utilizados em rituais para promover a reaproximação dos apaixonados. 





Características

Os lírios são plantas muito comercializadas há séculos, o que resultou em diversas variedades híbridas disponíveis. Os lírios asiático são originários de cruzamentos de diversas espécies originárias do leste asiático e junto com os lírios orientais são os mais cultivados em jardins.

A propagação é feita por bulbos que, diferentemente da maioria, não possuem uma camada externa de proteção. Elas podem ser plantadas em qualquer época do ano, mas o ideal é que já estejam no solo antes do auge do verão.

Os lírios asiáticos são os mais tolerantes entre as variedades e podem ser plantados em qualquer tipo de solo contanto que não haja acumulo de água nas raízes. É extremamente importante que o local tenha boa drenagem. A exposição ideal é sol pleno ou meia sombra em locais muito quentes.

Podem ser plantados em vasos, porém precisam de pelo menos 10 cm de solo acima e abaixo do bulbo para um bom desenvolvimento.

Como a maioria dos bulbos, logo após o final da floração a planta absorve energia para formar o bulbo para o ano seguinte, e eventualmente a folhagem seca e desaparece para somente ressurgir no próximo verão.

Em locais muito quentes é possível que a planta não retorne novamente no ano seguinte - Como são originárias de clima temperado, o ciclo destas plantas envolve diferenças de temperaturas no verão e inverno. Por este motivo é possível que nas regiões Norte e Nordeste a planta só floresça uma vez e não retorne mais.

Quando bem adaptados, os lírios se propagam rapidamente e em alguns anos formam uma colônia que pode ser dividida para ser usada em outras partes do seu jardim! A cada ano as plantas ficam mais vigorosas e floríferas, e geralmente duram por décadas.

Uma característica dos lírios é que o bulbo nunca entra em dormência completa, e por isso é extremamente importante que sejam plantados de imediato.



Época de Floração do Lírio

A época de floração varia muito de acordo com o clima e cada variedade, mas a maioria irá florescer entre o fim da primavera e fim do verão.

Época de Plantio do Lírio

Podem ser plantados a qualquer época do ano

Requerimento de Luz

Meia-sombra, Sol

Dimensões

60 cm a 100 cm



Instruções de Plantio do Lírio

O lírio asiático pode ser plantado em qualquer época do ano, porém preferencialmente antes do auge do verão, para garantir que nos dias mais quentes a planta já esteja estabelecida. Escolha um local com boa drenagem pois água parada é extremamente prejudicial para esta planta e irá causar doenças nas raízes.

Os lírios crescem bastante verticalmente porém tem pouco desenvolvimento lateral, portanto é sempre uma boa ideia plantar um próximo do outro, deixando entre 20 e 30 cm de distância entre eles. Faça buracos de forma que haja pelo menos 10 cm de terra acima do topo do bulbo, para garantir que eles fiquem firmes e não precisem de suporte para crescer. Em vasos também garanta que haja 10cm acima e abaixo dos bulbos.

Após o final da floração, uma pequena dose de fertilizante deve ser aplicada e a folhagem deve ser mantida pois irá acumular energia para a formação de um novo bulbo. Depois de completamente seca, é interessante colocar uma placa no solo indicando o local de plantio.

Os bulbos desta espécie nunca entram em dormência completa, portanto é importante que sejam plantados imediatamente após o recebimento dos mesmos!

Fonte: http://www.emporiodassementes.com.br/ - http://flores.culturamix.com/

CURIOSIDADE: Flor Cadáver

Uma das maiores flores do mundo é a Titan arum. Um exemplar pode medir até 3 metros. Popularmente chamada de flor-cadáver, a Titan desabrocha a cada seis ou nove anos e possui um cheiro insuportável.





Abraços, beijinhos! Falem comigo, ok? Vou adorar!


As fotos e imagens aqui publicadas, bem como seus direitos autorais, pertencem aos seus respectivos proprietários. A minha fonte de pesquisa de todas elas está citada em todos os posts. Caso você seja proprietário de alguma imagem e queira que o seu link seja mencionado, entre em contato comigo, para que eu possa fazer as devidas alterações. Se você levar alguma imagem, seja gentil e mencione sua fonte de pesquisa. PS: Neste blog ainda não se adotam as novas regras de ortografia